“Não fiquem admirados com isso, pois vem a hora em que todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a voz dele e sairão: os que fizeram coisas boas, para uma ressurreição de vida; e os que praticaram coisas ruins, para uma ressurreição de julgamento”

(João 5:28,29)

A Bíblia ensina a restauração do paraíso terrestre perdido por Adão e Eva. A profecia de Isaías (11, 35, 65), Ezequiel (40-48) e os Salmos (especialmente o 37) indicam a restauração do Paraíso perdido. O último livro da Bíblia, Apocalipse descreve essa restauração: “Então ouvi uma voz alta do trono dizer: “Veja! A tenda de Deus está com a humanidade; ele residirá com eles, e eles serão o seu povo. O próprio Deus estará com eles. Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais tristeza, nem choro, nem dor. As coisas anteriores já passaram”” (Apocalipse 21:3,4). Este mesmo livro indica que, no final dos mil anos, haverá santos, adoradores de Jeová na Terra, no Paraíso terrestre: “E avançaram sobre toda a terra e cercaram o acampamento dos santos e a cidade amada. Mas desceu fogo do céu e as consumiu” (Apocalipse 20:9). Este texto indica que os santos terrestres serão protegidos do último ataque de Satanás, sendo ele mesmo destruído, no final de mil anos.

Portanto, não há dúvida de que a Bíblia ensina que a maioria dos humanos mortos será ressuscitada em um paraíso terrestre. Apenas 144.000 humanos, redimidos da terra, serão ressuscitados no céu: “Então vi o Cordeiro em pé no monte Sião, e com ele 144.000, que têm o nome dele e o nome do seu Pai escritos na testa” (Apocalipse 7:1-8; 14:1-5).

 Além disso, pessoas fiéis, que morreram antes do tempo de Cristo e dos apóstolos, não estavam no céu: “Além disso, nenhum homem subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem” (João 3:13). Este texto é claro "nenhum homem subiu ao céu". Mesmo após a morte e ressurreição de Cristo, e sua ascensão ao céu, isso é o que o apóstolo Pedro disse sobre o rei Davi: “Homens, irmãos, permitam-me falar-lhes com franqueza sobre o patriarca Davi: ele morreu e foi enterrado, e seu túmulo está entre nós até o dia de hoje” (Atos 2:29). Este texto mostra claramente que o rei Davi, uma pessoa fiel, não estava ressuscitado na época dos apóstolos. Durante o ministério terrestre de Cristo (falando das ressurreições que ele fez), todos os mortos foram ressuscitados em um corpo humano. A ressurreição mais espetacular foi a de Lázaro (João 11). O seguinte estudo bíblico se concentrará no estudo da profecia de Ezequiel 40-48, sobre a administração desta ressurreição terrestre durante o reinado de 1,000 anos de Cristo. Esta profecia revela informações muito encorajadoras.

Nesta profecia, a ressurreição terrestre é representada simbolicamente da seguinte forma: Imagine o profeta Ezequiel, no coração da visão, do lado de fora e na entrada do Templo, de onde corre uma torrente que vai em direção do Mar Morto. Jeová pede para andar a jusante da torrente, em direção ao Mar Morto, não sem antes ter atravessado primeiro rio, a cada mil côvados (cerca de 500 metros). Aqui está o relato:

“Ele me levou então de volta à entrada do templo, e eu vi ali água saindo de debaixo do limiar do templo, indo para o leste, pois a frente do templo dava para o leste. A água saía de debaixo do lado direito do templo e passava ao sul do altar.

Então ele me levou para fora pelo portão norte e me fez dar a volta por fora até o portão externo que dava para o leste, e eu vi a água escorrendo desde o lado direito.

Quando o homem saiu para o leste com a corda de medir na mão, mediu 1.000 côvados e me fez atravessar a água; a água batia nos tornozelos.

Então ele mediu mais 1.000 côvados e me fez atravessar a água, e ela batia nos joelhos.

Mediu outros 1.000 côvados e me fez atravessar, e a água batia na cintura.

Quando mediu mais 1.000 côvados, era uma torrente que eu não conseguia atravessar andando, pois a água estava tão funda que era necessário nadar; era uma torrente impossível de atravessar a pé.

Ele me perguntou: “Você viu isso, filho do homem?” Então ele me fez andar de volta até a margem da corrente de água” (Ezequiel 47:1-6).

Depois dessa visão, Jeová pergunta ao profeta (através do anjo) e parece perguntar-lhe se ele entendeu o significado profético dessa visão. No entanto, em vez de responder, o profeta continua a descrever essa torrente, sua direção, o aspecto de suas duas margens, o que nos permite entender melhor o significado da visão e as virtudes benéficas dessas águas: “Quando voltei, vi que nas duas margens da corrente de água havia muitíssimas árvores. Então ele me disse: “Essa água corre em direção à região oriental, desce pelo Arabá e desemboca no mar. Quando entrar no mar, a água dele será curada. Multidões de criaturas viventes poderão viver por onde quer que as águas passarem. Haverá uma grande quantidade de peixes, pois essa água correrá para lá. A água do mar será curada, e tudo viverá por onde quer que a corrente de água passar” (Ezequiel 47:7-9).

Na verdade, o atual Mar Morto em Israel tem um nível de salinidade de modo que quase nenhuma vida aquática é possível, não há peixe. É claro que o Mar Morto é o símbolo da humanidade de hoje sob o efeito da morte herdada de Adão. A visão nos informa que esta torrente revigorante está gradualmente revivendo o Mar Morto por um repovoamento gradual com muitos peixes. Como podemos ter certeza de que isso é uma alusão à futura ressurreição terrena? É o livro do Apocalipse que toma as linhas gerais desta visão e dá a interpretação (indiretamente): “E ele me mostrou um rio de água da vida, límpido como cristal, que saía do trono de Deus e do Cordeiro e fluía pelo meio da rua principal da cidade. Dos dois lados do rio havia árvores da vida, que produziam 12 safras de frutos e davam seus frutos todo mês. As folhas das árvores eram para a cura das nações” (Apocalipse 22:1,2).

Esta cura das nações será feita principalmente pela ressurreição terrestre. O que é emocionante é entender como a profecia de Ezequiel descreve simbolicamente a administração mundial desta ressurreição (Ezequiel 47 e 48).

O SENTIDO DA LEI

O simbolismo dos números na Bíblia

O simbolismo das criaturas na Bíblia

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL A ADMINISTRAÇÃO MUNDIAL DO REINO DE DEUS: PARTE 1

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL A ADMINISTRAÇÃO MUNDIAL DO REINO DE DEUS: PARTE 2

A ADMINISTRAÇÃO MUNDIAL DO REINO DE DEUS PARTE 3: A MEDIÇÃO DO TEMPLO: OS MORTOS RESSUSCITADOS JUSTOS NA TERRA NÃO SERÃO JULGADOS

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 4: O JULGAMENTO

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 5: A ressurreição celestial

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 7: A acolhida dos ressuscitados terrestres

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 8: A "porção" dos ressuscitados terrestres

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 9: O PRÍNCIPE

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 10: O SACERDOTE

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 11: O LEVITA

A COLHEITA DAS VIDAS

O FIM DO PATRIOTISMO

MENU PRINCIPAL