O TEMPLO VISTO PELO PROFETA EZEQUIEL

"Nas visões da parte de Deus, ele me levou à terra de Israel e me pôs sobre um monte muito alto, onde havia ao sul uma estrutura semelhante a uma cidade" (Ezequiel 40:2)

A ADMINISTRAÇÃO TERRESTRE DO REINO DE DEUS DESCRITA NA PROFECIA DE EZEQUIEL

INTRODUÇÃO

Esta é uma série de artigos de estudo bíblico sobre a profecia de Ezequiel, especialmente os capítulos 40-48, que descreve com grande detalhe como à Terra será administrada sob a futura autoridade direta do Reino de Deus. Este estudo será feito por temas. Não será sistematicamente baseado na divisão em capítulos e versículos (feito por homem) do texto inspirado, mas sim no aspecto geral de cada visão ou enigma profético. Esta profecia será analisada como se fosse um grande afresco ou uma pintura mestra, neste caso profética, "aumentando o zoom", ou seja, fazer um estudo de certos detalhes importantes e "diminuindo o zoom", para ter uma visão geral das informações importantes.

Este estudo bíblico será emparelhado com o do livro de Apocalipse que faz eco da profecia de Ezequiel. Para escrever as coisas de uma maneira simples, a profecia de Ezequiel faz uma descrição terrestre da administração do Reino de Deus, dando detalhes precisos sobre o funcionamento da governança terrena. O livro de Apocalipse apresenta uma descrição celestial desta governança do Reino de Deus na Terra, enfatizando na Fonte da autoridade teocrática.

Para entender os enigmas proféticos de Ezequiel, é preciso referir-se ao contexto geral da Bíblia, à geografia bíblica e à história que envolve esses lugares, a lei mosaica com seu aspecto profético e ligado ao significado das exigências divinas em relação ao Tabernáculo (Templo) e aos diferentes tipos de sacrifícios. Os artigos da Bíblia tentarão explicar melhor esta importante informação: “Pois, visto que a Lei tem uma sombra das coisas boas que viriam, mas não a própria realidade” (Hebreus 10:1).

Os estudos bíblicos serão apresentados num estilo simples, com fotos, ligações de hipertexto, o que permitirá que aqueles que não conheçam a Bíblia entendam o significado geral das explicações da profecia de Ezequiel. Esperamos que este estudo fortaleça a sua fé no aspeto profético da Bíblia: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar” (2 Timóteo 3:17).

 

A VISÃO DO TEMPLO DE EZECHIEL:
ADMINISTRAÇÃO MUNDIAL DO REINO DE DEUS

PARTE 1

Ezequiel 40: 1,2 informa que o profeta teve a visão do Templo no 10 de Nisã, o que sugere que o estabelecimento da autoridade celestial direita do Reino de Deus na terra, começará a ser exercida  nessa data, ou seja, sete meses após o 10 de Tisri (incluindo o mês intercalar Ve-Adar) (Ezequiel 39:14): “Nas visões da parte de Deus, ele me levou à terra de Israel e me pôs sobre um monte muito alto, onde havia ao sul uma estrutura semelhante a uma cidade” (Ezequiel 40:2).

Enquanto o profeta está no exílio na Babilônia, a visão o faz voltar ao solo de Israel. Ele vê como as construções de uma cidade. Os seguintes versículos descrevem um homem que mede o que é a aparência de um templo (Ezequiel 40: 3-5).

O aspecto de cobre do homem parece significar que é um anjo que mede o templo. Para entender o significado simbólico do que faz esse anjo, ao medir o templo, é aconselhável repassar o quadro geral desta profecia: nas grandes linhas dos capítulos 40 a 48, o profeta Ezequiel está em Israel, ele vê um templo, do qual flui um pequeno rio que atinge um tamanho imenso, que revive o Mar Morto. A visão termina com a distribuição territorial do país de Israel.

O que representa toda essa visão, que é um fresco profético como o Apocalipse? É Jesus Cristo quem dá a chave principal do entendimento, que, por efeito dominó, permite compreender a estrutura dessa visão de Ezequiel: “Jesus lhes disse: “Eu lhes garanto: Na recriação, quando o Filho do Homem se sentar no seu trono glorioso, vocês que me seguiram se sentarão em 12 tronos e julgarão as 12 tribos de Israel”” (Mateus 19:28).

Através deste ensinamento, entendemos várias coisas: a dimensão profética da Lei Mosaica em relação à futura administração mundial do Reino de Deus, como o apóstolo Paulo escreveu, sob inspiração em Hebreus 10: 1. Israel antigo, território profeticamente representado no mundo, no paraíso terrestre. Este ensinamento de Cristo também permite compreender o significado geral da profecia de Ezequiel 40-48 e mais tarde do livro de Apocalipse, a saber: A descrição profética do exercício da autoridade administrativa do Reino de Deus na terra, exercido pelo maioral. A administração da autoridade espiritual e sacerdotal exercida pelos sacerdotes na terra, os filhos de Zadoque, secundados pelos levitas não-sacerdotais que irão assisti-los.

No livro do Apocalipse, essas duas formas de autoridade são resumidas pela função dos 144 mil reis e sacerdotes juntos com o Rei Jesus Cristo, nos céus: “E fez deles um reino e sacerdotes para o nosso Deus, e eles reinarão sobre a terra” (Apocalipse 5:10).

Esta autoridade real dos 144,000 será representada na terra pelo "Maioral" ou "Príncipe", que exercerá a autoridade administrativa, em relação à gestão territorial e demográfica da vinda dos ressuscitados (Ezequiel 44: 3). E esta autoridade sacerdotal dos 144,000 será representada para a Terra pelos Filhos de Zadoque, que administrarão o ensino, o julgamento dos ressuscitados na terra, dentro da autoridade do Santuário do Templo. A profecia de Ezequiel 40-48 mostra como essas duas autoridades estão exercidas tanto fora como dentro do templo santuário, pelo maioral e os filhos de Zadoque. A profecia descreve simbolicamente as bênçãos terrestres do Reino de Deus através deste rio que traz o Mar Morto de volta à vida, o que obviamente é a ressurreição gradual da humanidade que morreu pelos efeitos da morte adâmica (Ezequiel 47 : 6-10).

Estes aspectos muito interessantes da administração e das bênçãos do Reino de Deus serão detalhados em estudos bíblicos posteriores. Você não deixará de notar que a Bíblia dá muitos detalhes sobre como à Terra será gerida, sob a Dominação do Amor Total de Deus, através de Seu Reino, do qual Jesus Cristo é o Rei. Na Parte 2, entenderemos que a medida do templo pelo anjo, em Ezequiel 40: 3-5, representa um julgamento mundial de mil anos.

O SENTIDO DA LEI

O simbolismo dos números na Bíblia

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL A ADMINISTRAÇÃO MUNDIAL DO REINO DE DEUS: PARTE 2

A ADMINISTRAÇÃO MUNDIAL DO REINO DE DEUS PARTE 3: A MEDIÇÃO DO TEMPLO: OS MORTOS RESSUSCITADOS JUSTOS NA TERRA NÃO SERÃO JULGADOS

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 4: O JULGAMENTO

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 5: A ressurreição celestial

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 6: A ressurreição terrestre

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 7: A acolhida dos ressuscitados terrestres

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 8: A "porção" dos ressuscitados terrestres

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 9: O PRÍNCIPE

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 10: O SACERDOTE

A VISÃO DO TEMPLO DE EZEQUIEL PARTE 11: O LEVITA

A COLHEITA DAS VIDAS

MENU PRINCIPAL