Español                                 English                              Русский                          Français

BÍBLIA ONLINE

BÍBLIA ONLINE (Traduções comparativas)

BÍBLIA ONLINE (Em vários idiomas)

As frases azuis indicam explicações bíblicas adicionais e detalhadas. Basta clicar no hiperlink azul. Os artigos bíblicos são escritos principalmente em quatro idiomas:

português, francês, espanhol e inglês

A GRANDE TRIBULAÇĀO DURARÁ UM DIA

Após uma leitura cuidadosa de todos os textos proféticos que mencionam o "Dia de Jeová" ou a "Grande Tribulação", pode-se dizer sem nenhuma dúvida que esse dia durará apenas UM DIA.

Os textos proféticos mais claros da sua duração são, o de Zacarias e o do livro do Apocalipse, que descrevem o Dia de Jeová como um dia, ou a única data de um dia:

"Será um dia único, que ficará conhecido como o dia que pertence a Jeová. Não haverá dia nem haverá noite; e ao anoitecer haverá luz" (Zacarias 14:7).

Somente este texto mostra que é um dia de 24 horas, não um período, porque está escrito que, na hora do dia, não será dia nem noite, e que na hora de noite haverá luz. No entanto, o texto mais explícito é o do livro do Apocalipse, onde este dia está associado a uma data no calendário judaico. Em Apocalipse 11:18 está escrito: "Mas as nações ficaram iradas, e veio tua própria ira, e veio o tempo determinado para os mortos serem julgados e para recompensar os teus escravos, os profetas, bem como os santos e os que temem o teu nome, tanto os pequenos como os grandes, e para arruinar os que arruínam a terra" (Apocalipse 11:18). Este texto refere-se ao tempo da Grande Tribulação, quando Deus "arruinará aqueles que arruínam a terra". No entanto, o que é ainda mais interessante é que o versículo 19 repete esse tempo de maneira enigmática, como Dia de Jeová ou da Grande Tribulação: "Então o santuário do templo de Deus no céu foi aberto, e viu-se a Arca do seu pacto no santuário do seu templo. E houve relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e forte granizo" (Apocalipse 11:19).

Esse versículo tem duas partes principais: a primeira pela visão da Arca do seu pacto, representa um dia com uma data. De fato, Jeová Deus não permitiu que a Arca do seu pacto fosse visível (pelo Sumo Sacerdote), em outro dia que não fosse o 10 de Etanim (Tisri) (Levítico 16:2,29). A segunda parte do versículo 19, é a descrição simbólica da Grande Tribulação. O 10 de Etanim (Tisri) corresponde à celebração dramática do Dia da Expiação, cujo procedimento é descrito no capítulo 16 de Levítico. Essa celebração é dramática porque descreve simbolicamente e detalha o que acontecerá durante o Dia de Jeová. Isso prova que é um dia de tristeza porque Jeová havia dado a seguinte instrução a respeito deste dia: "É um sábado de completo descanso para vocês; e vocês devem afligir a si mesmos. É um decreto permanente" (Levítico 16:31) (O SENTIDO DA LEI).

A GRANDE TRIBULAÇÃO OCORRERÁ EM 10 DE TISRI

A primeira pela visão da Arca do seu pacto, representa um dia com uma data. De fato, Jeová Deus não permitiu que a Arca do seu pacto fosse visível (pelo Sumo Sacerdote), em outro dia que não fosse o 10 de Etanim (Tisri)

“Então o santuário do templo de Deus no céu foi aberto, e viu-se a Arca do seu pacto no santuário do seu templo. E houve relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e forte granizo”

(Apocalipse 11:19)

(Tisri é o nome hebraico do calendário judeus que corresponde à setembro/outubro)

Apocalipse 11:19 é a pedra angular dada por Deus, através de Jesus Cristo como a revelação (Palavra grega “Apocalipse”), da data de 10 de TISRI (ETANIM), para identificar o tempo exato da grande tribulação. Existem outras passagens bíblicas que reforçam esse entendimento: o 10 de TISRI aparece várias vezes na Bíblia, de forma simbólica, ligada com a celebração do dia da expiação que celebrava a santidade de Jeová Deus, em vários livros bíblicos e também em relação à descrição da grande tribulação chamada de "Dia de Jeová":

  1. Então a glória do Deus de Israel se elevou de onde estava, acima dos querubins, e foi para a soleira da entrada da casa. E ele chamou o homem vestido de linho, que tinha na cintura o tinteiro de secretário” (Ezequiel 9:3). Ezequiel capítulo 9 é a descrição profética do julgamento antes da grande tribulação. É também o relato profético da grande tribulação. Os “querubins”,  onde fica  "a glória de Deus", estão sobre a “Arca do Pacto” no “Santíssimo” do Santuário do Templo de Deus, apenas vista, uma vez por ano: em 10 Tisri (O SENTIDO DA LEI (Vídeo da descrição do templo construído por Salomão). A Arca do seu Pacto está na última parte da descrição vídeo do templo santuário. Acima da tampa, há os dois querubins com suas asas se juntando e seus rostos em direção à tampa).
  2. No vigésimo quinto ano do nosso exílio, no começo do ano, no dia dez do mês, no décimo quarto ano depois da queda da cidade, nesse mesmo dia a mão de Jeová esteve sobre mim, e ele me levou à cidade. Nas visões da parte de Deus, ele me levou à terra de Israel e me pôs sobre um monte muito alto, onde havia ao sul uma estrutura semelhante a uma cidade” (Ezequiel 40:1,2). O profeta Ezequiel (nos capítulos 40-48), tem uma visão da administração terrestre do Reino de Deus, depois dos 7 meses de purificação da terra mencionados em Ezequiel 39: 12-16. O livro de Ezequiel (39:12-16) menciona, de maneira indireta (com os 7 meses de limpeza da Terra), que o ano em que ocorrerá a grande tribulação será um ano lunissolar de 13 meses.
  3. Todos os que restarem de todas as nações que vierem contra Jerusalém subirão de ano em ano para se curvar diante do Rei, Jeová dos exércitos, e para celebrar a Festividade das Barracas” (Zacarias 14:16). O contexto geral de Zecharias capítulo 14, é a descrição simbólica da futura grande tribulação. " os que restarem de todas as nações" (A Grande Multidão), são aqueles que sobreviverão na grande tribulação e que terão de "celebrar a festividade das Barracas", Em 15 de Tisri. É uma importante indicação sobre a grande tribulação do 10 de Tisri (Hebreus 10:1).
  4. Mas as nações ficaram iradas, e veio tua própria ira, e veio o tempo determinado para os mortos serem julgados e para recompensar os teus escravos, os profetas, bem como os santos e os que temem o teu nome, tanto os pequenos como os grandes, e para arruinar os que arruínam a terra.” 19 Então o santuário do templo de Deus no céu foi aberto, e viu-se a Arca do seu pacto no santuário do seu templo. E houve relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e forte granizo” (Apocalipse 11:18,19). Temos a visão da Arca do Pacto, apenas vista em 10 de Tisri, como em Ezequiel 9:3, seguido pela simples descrição da grande tribulação (O SENTIDO DA LEI (Vídeo da descrição do templo construído por Salomão. A Arca do seu Pacto é uma caixa com uma tampa, e acima a representação de dois querubins. Foi colocado no Santíssimo templo santuário)).
  5. Não tenha medo das coisas que você está para sofrer. O Diabo continuará lançando alguns de vocês na prisão, para que sejam plenamente provados, e vocês terão tribulação por dez dias. Mostre-se fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10). Os "dez dias” de tribulação, referem-se provavelmente no 10 de Tisri, após o qual haverá um julgamento favorável para os cristãos fiéis até o fim e que receberão sua recompensa: os 144000, a vida eterna nos céus e para a grande multidão, depois da grande tribulação, no 15 de Tisri, vida eterna no Paraíso terrestre.
  6. Temos essa esperança como âncora para a alma, tanto segura como firme, e ela entra até o interior, atrás da cortina” (Hebreus 6:19). É o cumprimento da esperança dos 144000 ressuscitados nos céus, "atrás da cortina", no Santíssimo do Santuário do Templo de Deus, na presença de Jeová Deus, em 10 de Tisri (“selados” como grupo (Apocalipse 7:3; Levítico 16:2)) (O SENTIDO DA LEI (Vídeo da descrição do templo construído por Salomão (no vídeo, a cortina que separava o Santo (onde estão os candelabros)), do Santíssimo é substituída por uma porta que se abre No entanto, é aqui que estava a cortina. O Santíssimo representa a presença de Jeová Deus, portanto também os céus onde Ele reside))

“Isso acontecerá no verão e no inverno”

(Zacarias 14:8b)

“Isso acontecerá no verão e no inverno”

 Esta informação bíblica importante indica que neste dia dos 10 de Etanim (Tisri) (mês do calendário bíblico), da grande tribulação, corresponderá à passagem do solstício de verão, ao equinócio de outono (início do inverno na Bíblia), 22 de setembro após o pôr do sol (verão) e, ao mesmo tempo, o dia 23 de setembro (outono "inverno")

“Naquele dia não haverá nenhuma luz preciosa — as coisas ficarão congeladas. Será um dia único, que ficará conhecido como o dia que pertence a Jeová. Não haverá dia nem haverá noite; e ao anoitecer haverá luz. Naquele dia águas vivas fluirão de Jerusalém, metade para o mar oriental e metade para o mar ocidental. Isso acontecerá no verão e no inverno. E Jeová será Rei sobre toda a terra. Naquele dia Jeová será um só, e seu nome um só” (Zacarias 14:6-9).

"Isso acontecerá no verão e no inverno" é uma indicação muito precisa de quando acontecerá o "Grande Dia de Jeová", a Grande Tribulação. Antes de tudo, é necessário especificar o significado da palavra "inverno" nesta profecia. De acordo com a Concordância de Strong, a transliteração da palavra hebraica "chreph" (H2779), no uso bíblico, significa: colheita colhida significando (implicitamente) a estação de outono (e começo de inverno); figurativamente, a maturidade da idade. Assim, neste texto, a palavra "inverno", segundo o contexto da profecia, significa "no outono", isto é, começo do inverno.

A profecia dá informações extraordinárias, se cruzarmos com a informação de Apocalipse 11:19 que indica que a Grande Tribulação acontecerá no dia 10 de Tisri: “Então o santuário do templo de Deus no céu foi aberto, e viu-se a Arca do seu pacto no santuário do seu templo. E houve relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e forte granizo” (Apocalipse 11:19).

Este texto descreve em uma frase a Grande Tribulação, com a segunda parte do versículo 19: "E houve relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e forte granizo". E a primeira parte menciona que a "Arca do seu pacto" era visível. Mas Deus não permitia que o sumo sacerdote visse a "Arca do seu pacto" em qualquer momento do ano, no templo do santuário, mas apenas os 10 de Tisri (Levítico 16: 2). A menção da visão da "Arca do seu pacto" é obviamente uma informação extraordinária do dia da Grande Tribulação: acontecerá um 10 de Tisri. No entanto, Zacarias 14:8 indica que este mesmo dia, o Dia de Jeová, a Grande Tribulação, o 10 de Tisri, será o dia da passagem do verão para o outono (como começo do inverno). Esta segunda informação extraordinária indica que o 10 de Tishri do Calendário Bíblico Hebraico corresponderá a um 22 (após o pôr do sol em Jerusalém) e 23 de setembro, do calendário gregoriano, o tempo de passagem entre o verão e o outono (começo do inverno), de acordo com o ciclo solar.

Assim, para saber o ano preciso, seria suficiente comparar o calendário gregoriano e o atual calendário hebraico para ver que ano corresponderia a 10 de Tisri (Yom Kippur) com a data exata da transição de verão ao equinócio de outono, a saber, 22 e 23 de setembro. Mas não é tão simples. Ao fazer uma busca rápida das datas correspondentes a 10 de Tisri, a data da celebração do Yom Kippur hebraico, do ano 2019 ate pelo menos o ano 2026, nenhuma data corresponde entre o calendário hebraico (lunissolar) e o calendário gregoriano (solar). No entanto, existe! Sim, existe realmente empregando, o método bíblico de ajuste entre, desta vez, o atual calendário hebraico e o calendário bíblico, levando-se em conta estritamente o ciclo lunar mencionado em Salmos 81:3. Esta demonstração será feita em uma futura página de estudo intitulada "O Dia de Jeová", onde aparecerá a correspondência entre o futuro "10 de Tisri" com o mesmo dia, 22 e 23 de setembro, a passagem do verão para o equinócio do outono... E é, além disso um ano lunissolar...