Español                                   English                                   Français

 BÍBLIA ONLINE

BÍBLIA ONLINE (Traduções comparativas)

BÍBLIA ONLINE (Em vários idiomas)

COMO CELEBRAR A COMEMORAÇÃO DA MORTE DE JESUS CRISTO (PRESENTAÇÃO COM FOTOS)

A CELEBRAÇÃO DA COMEMORAÇÃO

DA MORTE DE CRISTO

SOLA SCRIPTURA

"Cristo, o nosso cordeiro pascoal, já foi sacrificado"

(1 Coríntios 5: 7)

O método bíblico para determinar a data da celebração do Memorial da morte de Jesus Cristo é o mesmo que o da Páscoa da Bíblia (O SENTIDO DA LEI). 14 de nisã (mês do calendário judaico), 14 dias após a lua nova (corresponde ao início do mês de nisã): "Vocês devem comer pães sem fermento no primeiro mês, do anoitecer do dia 14 do mês até o anoitecer do dia 21 do mês" (Êxodo 12:18). O "anoitecer" corresponde ao começo do dia de 14 nisã. Na Bíblia, o dia começa após o pôr do sol, o "anoitecer" ("Houve noite e houve manhã, primeiro dia" (Gênesis 1: 5)) (O ANO LUNISSOLAR). Este ano, o Memorial da morte de Cristo acontecerá na quinta-feira, 18 de abril de 2019, após o pôr do sol (calendário gregoriano). O primeiro dia do mês de nisã, corresponde à lua nova (para este ano 5 de abril (depois do pôr-do-sol) / 6 de abril de 2019). Representa o desaparecimento total da lua (sem quarto aparente), na ambivalência à completa aparência da lua cheia (com todos os seus quartos), de acordo com o salmo 81:3 (Bíblia): "Na lua nova, tocai a buzina; Na lua cheia, para o dia da nossa festividade". É também essa opção bíblica que foi retida pelo atual calendário judaico. Portanto, considerando o critério bíblico da determinação da lua nova (desaparecimento total da lua), foi retido para o cálculo da data do Memorial da morte de Jesus Cristo.

- A Páscoa é o modelo dos requisitos divinos para a celebração do memorial da morte de Cristo: "Essas coisas são uma sombra do que viria, mas a realidade pertence ao Cristo" (Colossenses 2:17). "Pois, visto que a Lei tem uma sombra das coisas boas que viriam, mas não a própria realidade" (Hebreus 10: 1) (O SENTIDO DA LEI).

- Somente os circuncisos podiam celebrar a Páscoa: "Se um estrangeiro que mora entre vocês quiser celebrar a Páscoa para Jeová, todos os do sexo masculino da casa dele deverão ser circuncidados. Só então ele poderá se aproximar para participar da celebração, e ele se tornará como um israelita de nascimento. Mas nenhum incircunciso pode comer dela" (Êxodo 12:48).

- Os cristãos não estão mais sob a obrigação de circuncisão física. Sua circuncisão é espiritual: "Agora purifiquem o seu coração e deixem de ser tão obstinados" (purifiquem: circuncidem o prepúcio do) (Deuteronômio 10:16, Atos 15:19,20,28,29 "Decreto apostólico", Romanos 10:4 "Cristo é o fim da Lei").

- A circuncisão espiritual do coração significa obediência a Deus e a seu Filho Jesus Cristo: "De fato, a circuncisão só tem valor se você guarda a Lei; mas, se você é transgressor da Lei, a sua circuncisão se tornou incircuncisão. Portanto, se um incircunciso guardar as justas exigências da Lei, não será a incircuncisão dele considerada como circuncisão? E aquele que é fisicamente incircunciso, ao cumprir a Lei, julgará a você, que é transgressor da Lei apesar de ter o código escrito e a circuncisão. Porque não é judeu quem o é por fora, nem é a circuncisão algo feito por fora, na carne. Mas judeu é quem o é no íntimo, e a sua circuncisão é a do coração, por espírito, e não por um código escrito. O louvor dessa pessoa vem de Deus, não de homens" (Romanos 2:25-29) (DOUTRINAS BÁSICAS).

- A incircuncisão espiritual representa a desobediência a Deus e a seu Filho Jesus Cristo: "Homens obstinados e incircuncisos no coração e nos ouvidos, vocês sempre resistem ao espírito santo. Assim como os seus antepassados fizeram, vocês também fazem. A qual dos profetas os seus antepassados não perseguiram? Sim, mataram os que anunciaram antecipadamente a vinda do Justo, cujos traidores e assassinos vocês se tornaram agora, vocês, que receberam a Lei conforme transmitida por anjos, mas não a guardaram" (Atos 7:51-53) (DOUTRINAS BÁSICAS (Proibido pela Bíblia)).

- A circuncisão espiritual do coração é necessária para a participação na comemoração da morte de Cristo (qualquer seja a esperança cristã (celestial ou terrestre)): "Primeiro, que o homem examine e aprove a si mesmo, e só então coma do pão e beba do cálice" (1 Coríntios 11:28).

- O cristão deve fazer um exame de consciência antes de participar na comemoração da morte de Cristo. Se ele considera que ele tem uma consciência pura diante de Deus, que ele tem a circuncisão espiritual, então ele pode participar na comemoração da morte de Cristo (qualquer seja a esperança cristã (celestial ou terrestre)) (RESSURREÇĀO NOS CEUS; RESSURREÇĀO NA TERRA; A GRANDE MULTIDÃO).

- A recomendação explícita de Cristo, de comer simbolicamente sua "carne" e seu "sangue", é um convite a todos os cristãos fiéis, para que comam "pães sem fermento", que representa sua "carne" e bebam da copa, representando o seu "sangue":

"Eu sou o pão da vida. Seus antepassados comeram o maná no deserto, no entanto morreram. Este é o pão que desce do céu, para que todo aquele que comer dele não morra. Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer deste pão, viverá para sempre; de fato, o pão que eu darei é a minha carne a favor da vida do mundo.” Então os judeus começaram a discutir entre si, dizendo: “Como este homem pode nos dar sua carne para comer?” Assim, Jesus lhes disse: “Digo-lhes com toda a certeza: A menos que comam a carne do Filho do Homem e bebam o seu sangue, vocês não têm vida em si mesmos. Quem se alimenta da minha carne e bebe o meu sangue tem vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia, pois a minha carne é verdadeiro alimento, e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem se alimenta da minha carne e bebe o meu sangue permanece em união comigo, e eu em união com ele. Assim como o Pai, que vive, me enviou e eu vivo por causa do Pai, assim também aquele que se alimenta de mim viverá por causa de mim. Este é o pão que desceu do céu. Não é como quando os seus antepassados comeram e mesmo assim morreram. Quem se alimentar deste pão viverá para sempre" (João 6:48-58) (CRISTO - SALVAÇÃOCRISTO - COMEMORAÇÃO; O REI JESUS CRISTO).

- Portanto, todos os cristãos fiéis, seja qual for sua esperança, celestial ou terrestre, são obrigados a tomar o pão sem fermento e o vinho da comemoração da morte de Cristo, é um mandamento de Cristo: "Assim, Jesus lhes disse: “Digo-lhes com toda a certeza: A menos que comam a carne do Filho do Homem e bebam o seu sangue, vocês não têm vida em si mesmos. (...) Assim como o Pai, que vive, me enviou e eu vivo por causa do Pai, assim também aquele que se alimenta de mim viverá por causa de mim" (João 6:53,57).

- A comemoração da morte de Cristo deve ser celebrada apenas entre fiéis seguidores de Cristo: "Portanto, meus irmãos, quando se reunirem para essa ceia, esperem uns pelos outros" (1 Coríntios 11:33) (NA CONGREGAÇÃO).

- Se você deseja participar na "comemoração da morte de Cristo" e não é cristão, você deve ser batizado, sinceramente desejando obedecer aos mandamentos de Cristo: "Portanto, vão e façam discípulos de pessoas de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do espírito santo, ensinando-as a obedecer a todas as coisas que lhes ordenei. E saibam que eu estou com vocês todos os dias, até o final do sistema de coisas" (Mateus 28: 19,20) (O BATISMO SALVA).

 

Como celebrar a comemoração da morte de Jesus Cristo?

"Persistam em fazer isso em memória de mim"

(Lucas 22:19)

A comemoração da morte de Jesus Cristo deve ser celebrada da mesma forma como a Páscoa, apenas entre circuncisão espiritual entre os cristãos fiéis, congregação ou família (Êxodo 12:48; Hebreus 10:1; Colossenses 2:17; 1 Coríntios 11:33). Após a celebração da Páscoa, Jesus Cristo estabeleceu o padrão para a futura celebração da lembrança de sua morte (Lucas 22:12-18). O podemos ler nestas passagens bíblicas, evangelhos:

- Mateus 26:17-35.

- Marcos 14:12-31.

- Lucas 22:7-38.

- João capítulo 13 a 17.

Há o momento da celebração da Páscoa (João 13:1-3). A transição entre este evento ea introdução da nova celebração, que agora substituir a Páscoa: a comemoração da morte de Cristo como o Cordeiro de Deus "que tira o pecado do mundo" (João 1:29-36; Colossenses 2:17, Hebreus 10:1).

Durante essa transição, Jesus Cristo lavou os pés dos doze apóstolos. Foi um ensinamento pelo exemplo: ser humildes uns aos outros (João 13:4-20). No entanto, este evento não deve ser considerado como um ritual para praticar antes da comemoração (compare João 13:10 e Mateus 15:1-11). A narrativa nos informa que depois disso, Jesus Cristo colocou "a sua capa". Portanto, devemos estar adequadamente vestidos (João 13:10a,12 compare com Mateus 22:11-13). A propósito, no lugar da execução de Jesus Cristo, os soldados levaram as roupas que ele usava naquela noite. O relato de João 19:23,24 nos informa que Jesus Cristo usava uma "túnica que não tinha costura, pois era tecida de alto a baixo". Os soldados nem se atreveram a rasgá-lo. Isso nos faz entender que Jesus Cristo usava roupas de qualidade, consistente com a importância do evento. Sem estabelecer regras não escritas na Bíblia, exercitaremos o bom senso de como nos vestir (Hebreus 5:14).

Então Jesus Cristo dispensou o traidor Judas Iscariotes. Isso mostra que a comemoração deve ser celebrada somente entre os cristãos fiéis (Mateus 26:20-25, Marcos 14:17-21, João 13:21-30, a história de Lucas nem sempre é cronológica, mas "em ordem lógica" (Veja Lucas 22:19-23 e Lucas 1: 3 "escrevê-las para o senhor em ordem lógica" (1 Coríntios 11:28,33)).

A celebração da comemoração é descrita com muita simplicidade: "Ao continuarem a comer, Jesus pegou um pão e, depois de proferir uma bênção, partiu-o e deu aos discípulos, dizendo: “Peguem, comam. Isto representa o meu corpo.” E, pegando um cálice, ele deu graças e o deu a eles, dizendo: “Bebam dele, todos vocês, pois isto representa o meu ‘sangue do pacto’, que será derramado em benefício de muitos, para o perdão de pecados. Eu lhes digo, porém: Eu de modo algum beberei novamente deste produto da videira até aquele dia em que beberei vinho novo com vocês, no Reino do meu Pai.” Por fim, depois de cantarem louvores, saíram para o monte das Oliveiras" (Mateus 26:26-30). Jesus Cristo explicou o motivo dessa celebração, o significado de seu sacrifício, o pão sem fermento representa o símbolo de seu corpo sem pecado e o cálice, símbolo de seu sangue. Ele pediu que seus discípulos comemorassem a memória de sua morte todos os anos em 14 de nisã (Lucas 22:19).

O Evangelho de João nos informa sobre o ensinamento de Cristo após essa celebração, provavelmente do versículo 13:31 ao versículo 16:30. Depois disso, Jesus Cristo fez uma oração que pode ser lida em João capítulo 17. O relato de Mateus 26:30 nos informa: "Por fim, depois de cantarem louvores, saíram para o monte das Oliveiras". É provável que cantaram os louvores após a oração de Jesus Cristo.

Como fazer?

Baseado neste modelo deixado por Cristo: A celebração deve ser organizada por uma pessoa, um ancião, um pastor, um sacerdote da congregação cristã. Se a celebração acontece em um quadro familiar, é o chefe da família cristã que deve celebrá-la. Se não houver homem, mas somente mulheres cristãs, a irmã em Cristo que organizará a celebração deve ser escolhida dentre as mulheres idosas (Tito 2:3). Ela terá que cobrir a cabeça (1 Coríntios 11:2-6).

Aquele que organizar a celebração, decidirá o ensino bíblico nesta circunstância baseada na história dos Evangelhos, talvez os lendo e comentando-os. Uma oração final dirigida a Jeová Deus será pronunciada. Depois disso, cânticos podem ser cantados em louvor a Jeová Deus e em homenagem ao seu Filho Jesus Cristo.

Quanto ao pão, a variedade de cereal não é mencionada, no entanto, deve ser feito sem fermento (Como preparar pão sem fermento (vídeo) (francês)). No respeito ao vinho, em alguns países, é possível que os cristãos fiéis não possam obtê-lo. Neste caso excepcional, os anciãos decidirão como substituí-lo da maneira mais apropriada com base na Bíblia (João 19:34). Jesus Cristo mostrou que em certas situações excepcionais, decisões excepcionais podem ser tomadas e que a misericórdia de Deus se aplicará nessa circunstância (Mateus 12:1-8).

Não há indicação bíblica da duração precisa da celebração. Portanto, é aquele que organizará este evento que mostrará bom juízo, assim como Cristo terminou esta reunião especial. O único ponto importante da Bíblia sobre o momento deste evento é que o memorial da morte de Jesus Cristo deve ser celebrado "entre as duas noitinhas", de 14 de nisã. Após o pôr do sol de 13 a 14 de nisã, e o nascer do sol. Foi nesse momento que Jesus Cristo fez essa celebração. João 13:30 nos informa que quando Judas Iscariotes partiu, pouco antes da celebração, "Era noite".

Jeová Deus estabeleceu a lei sobre a celebração da Páscoa: "O sacrifício da Festividade da Páscoa não deve ser guardado da noite para o dia" (Êxodo 34:25). Por quê? A morte do cordeiro pascoal devia ocorrer "entre as duas noitinhas". A morte de Cristo, o Cordeiro de Deus, foi decretada por "julgamento", também "entre as duas noitinhas", antes de o amanhecer "antes que o galo cantar": "O sumo sacerdote rasgou então suas vestes, dizendo: “Ele blasfemou! Que necessidade temos ainda de testemunhas? Vejam! Agora vocês ouviram a blasfêmia. Qual é a opinião de vocês?” Eles responderam: “Ele merece morrer”. (...) E imediatamente um galo cantou. E Pedro se lembrou do que Jesus tinha dito: “Antes de o galo cantar, você me negará três vezes"" (Mateus 26: 65-75). Assim, a morte do cordeiro pascoal, foi seguida pela morte por julgamento do cordeiro de Deus, Jesus Cristo, "em nome da lei", "entre as duas noitinhas" (Salmos 94:20 "em nome da lei, trama a desgraça"; João 1: 29-36; Colossenses 2:17; Hebreus 10: 1). Deus abençoe os cristãos fiéis no mundo, por meio de Seu Filho Jesus Cristo. Amém.

A PROMESSA DE DEUS

CRISTO - SALVAÇÃO

O BATISMO SALVA

O REI JESUS CRISTO

AS DOUTRINAS BÁSICAS DA BÍBLIA

O MENU PRINCIPAL