ENGLISH               ESPAÑOL               Русский              FRANÇAIS

BÍBLIA ONLINE

BÍBLIA ONLINE (Traduções comparativas)

BÍBLIA ONLINE (Em vários idiomas)

As frases azuis indicam explicações bíblicas adicionais e detalhadas. Basta clicar no hiperlink azul. Os artigos bíblicos são escritos principalmente em quatro idiomas:

português, francês, espanhol e inglês

 O ÚLTIMO REI

 A profecia de Daniel anunciou, 200 anos por antecedência, o advento e o reinado de Alexandre, o Grande 

A profecia de Daniel anunciou, 200 anos por antecedência, o advento e o reinado de Alexandre, o Grande

"Depois o bode se engrandeceu extraordinariamente, mas, assim que se tornou poderoso, o grande chifre foi quebrado; então quatro chifres notáveis surgiram em seu lugar, em direção aos quatro ventos dos céus. (...) O bode peludo representa o rei da Grécia, e o chifre grande que havia entre os seus olhos representa o primeiro rei. Quanto ao chifre que foi quebrado, de modo que quatro se levantaram em seu lugar, haverá quatro reinos procedentes da nação dele que se levantarão, mas não com o seu poder"

(Daniel 8: 8,21,22)

A redação do livro de Daniel foi concluída por volta de 536 AEC. Alexandre, o Grande, nasceu em 356 AEC. Em 336 ele começou seu reinado. Ele morreu muito jovem, em 323 AEC: "o grande chifre foi quebrado". A profecia deixa entender que nenhum de seus filhos herdaria seu reino. Alexandre, o Grande, teve dois filhos: Alexandre IV Aigos e Heracles, um filho ilegítimo. Os dois filhos foram assassinados e, portanto, não sucederam ao pai. Segundo a profecia, após a morte de Alexandre, o Grande, todos os territórios conquistados foram divididos em quatro, entre de seus generais: Seleucos Nicator tomando a Mesopotâmia e a Síria; Cassandra, Macedônia e Grécia; Ptolomeu Lagus, Egito e Palestina; e Lisímaco, Trácia e Ásia Menor: "então quatro chifres notáveis surgiram em seu lugar, em direção aos quatro ventos dos céus. (...) Quanto ao chifre que foi quebrado, de modo que quatro se levantaram em seu lugar, haverá quatro reinos procedentes da nação dele que se levantarão, mas não com o seu poder".

A particularidade da profecia de Daniel capítulo 8 é que descreve a sucessão das potências mundiais ao designar dois reis que marcaram a história: Trezentos anos antes de seu advento, ela anunciou a chegada de Alexandre, o Grande, que Helenizou o mundo (8: 8,21). Esta helenização teve um impacto até hoje pelo que é designada (pelos historiadores) como antiguidade tardia "greco-romana

No entanto, a particularidade da profecia de Daniel capítulo 8, é que descreve a face e atitude geral do último rei, da última potência mundial (resultado do poder mundial helenístico), que enfrentará o Rei Celestial Jesus Cristo, durante a Grande Tribulação (A última potência mundial atual são os Estados Unidos da América). Em Daniel 8:9-12, a profecia faz a descrição enigmática desse rei que apareceria nos últimos dias que antecederam a Grande Tribulação. Contudo, o mais interessante é a explicação dada pelo anjo de Jeová a respeito deste "último rei".

A profecia de Daniel anunciou,  mais de 2500 anos por antecedência, o advento do último rei da última potência mundial de hoje, com uma descrição da expressão física de seu rosto e de seu comportamento geral

“E na parte final desses reinos, quando os transgressores completarem suas ações, um rei de aparência feroz, que entende declarações ambíguas, se levantará. Ele se tornará muito poderoso, mas não pelo seu próprio poder. Causará destruição de modo extraordinário, e será bem-sucedido e tomará ação. Ele arruinará poderosos, também o povo composto dos santos. E, com sua astúcia, usará de falsidade para ser bem-sucedido; no coração ele se enaltecerá e, durante um período de segurança, arruinará a muitos. Ele até mesmo se levantará contra o Príncipe dos príncipes, mas será destroçado sem a intervenção de mãos humanas”

(Daniel 8:23-25)

O ÚLTIMO REI DE APARÊNCIA FEROZ E ASTUTO

O REI DE DURO SEMBLANTE

O REI DE DURO SEMBLANTE

“um rei de aparência feroz, (...), se levantará” (Daniel 8:23)

Essa profecia é muito importante porque está a descrever a aparência da face e o comportamento geral do último rei que vai enfrentar-se ao Rei Jesus Cristo durante a grande tribulação.

A expressão traduzida na tradução do Novo Mundo da Bíblia, de acordo com o rei de aparência “feroz", vem da palavra em Hebraico transliterada 'az. E de acordo com a Strong’s Concordance (H5794), significa: "forte, veemente, dura" e a versão King James traduz como "feroz, ganancioso, poderoso, poder, forte". Origem da palavra (etimologia) 'âzaz: O uso bíblico: "ser forte" (literalmente ou figurativamente). A King James Versão, traduz como “insolente”, “ser forte. Algumas traduçõess em português, da expressão “aparência feroz”: “um rei, feroz de cara” (ARC; OL); “um rei cruel” (NTLH); “um rei de duro semblante” (NVI-PT).

O REI MESTRE EM ASTÚCIAS COM GRANDE INTELIGÊNCIA EM DETECTAR ARMADILHAS

O REI MESTRE EM ASTÚCIAS COM GRANDE INTELIGÊNCIA EM DETECTAR ARMADILHAS

“um rei (...) que entende declarações ambíguas, se levantará” (Daniel 8:23)

A palavra hebraica transliterada, que corresponde a esta expressão, de entender “declarações ambíguas”, é "chiydah" (Strong’s Concordance (H2420)), que significa: "entender enigmas, questões difíceis, mas também, entender onde existem armadilhas".  O que significa que este rei não só entende "enigmas, questões difíceis", também é “astuto para detectar armadilhas". Algumas traduções em português, da expressão “que entende declarações ambíguas”: “será entendido em adivinhações” (ARC); “um rei (...) enganador” (NTLH); “mestre em astúcias” (NVI-PT); “terá grande sagacidade e inteligência” (OL).

O último rei causando destruição de modo extraordinário

Ele se tornará muito poderoso, mas não pelo seu próprio poder. Causará destruição de modo extraordinário, e será bem-sucedido e tomará ação

"Ele se tornará muito poderoso, mas não pelo seu próprio poder. Causará destruição de modo extraordinário, e será bem-sucedido e tomará ação. Ele arruinará poderosos, também o povo composto dos santos. E, com sua astúcia, usará de falsidade para ser bem-sucedido; no coração ele se enaltecerá e, durante um período de segurança, arruinará a muitos"

(Daniel 8:24,25)

O último rei mostrará rapidamente quem ele realmente é. O último rei é descrito como tendo um grande poder de destruição que não vem dele, mas que é colocado à sua disposição. O último rei está usando, e ele continuará a usar esse extraordinário poder de destruição, para causar mais estragos no mundo. A ação do último rei é e será extremamente eficaz, mesmo contra os "poderosos" deste mundo. O último rei não hesitará em fazer parte da coalizão mundial de Gogue de Magogue para continuar atacando "os santos": "Ele arruinará poderosos, também o povo composto dos santos". Por causa de sua eficiência, seus sucessos por seu extraordinário poder de destruição, ele vai se considerar um deus (OS DOIS REIS ; GOGUE DE MAGOGUE).

 Contra o Príncipe dos príncipes ele se levantará

Ele até mesmo se levantará contra o Príncipe dos príncipes, mas será destroçado sem a intervenção de mãos humanas

"Ele até mesmo se levantará contra o Príncipe dos príncipes, mas será destroçado sem a intervenção de mãos humanas"

(Daniel 8:25)

O versículo 25 parece ser uma repetição do versículo 24. Portanto, quando está escrito (no final do versículo 25), que o último rei se levantará contra o Príncipe dos príncipes, isso significa (de acordo com o final do versículo 24), na época onde ele decide destruir o povo dos "santos", ele "se levantará contra o Príncipe dos príncipes". Além disso, em uma profecia paralela de Daniel 12:1, a respeito do tempo da grande tribulação, está escrito o seguinte: "Naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe que está de pé a favor dos filhos do seu povo" (Daniel 12:1). Quando o último rei se levantar contra o príncipe dos príncipes, contra Miguel, o rei Jesus Cristo se levantará para defender o povo dos "santos", o povo de Deus: "mas será destroçado sem a intervenção de mãos humanas" (Daniel 8:25).