Quando lemos o que está escrito em Mateus 7:13-23, particularmente nos versos 21-23, e em Mateus capítulo 13:24-30, 36-43 e 25: 31-46, a descrição profética de Jesus Cristo, é como se a maioria do mundo fosse “cristão”, pouco antes da grande tribulação, ou seja, após da destruição de Babilônia a Grande...  Como entender isso?

Jesus Cristo disse que o “joio” semeado no meio do trigo no "campo", representam os filhos do Maligno no "mundo" (Mateus 13:24, 25, 38). Como compreender esta descrição profética? Nos capítulos da profecia de Daniel 2,7,8, lemos que nos últimos dias deste sistema de coisas, o mundo seria sob a influência da Antiguidade Tardia Romana. É retransmitida principalmente na história através do imperialismo religioso católico ocidental, por meio das nações como Espanha, França e Grã-Bretanha, e mais tarde representado principalmente pelo imperialismo ocidental protestante dos Estados Unidos da América. No Oriente Médio Oriente o imperialismo Americano é representado por Israel, criado como estado desde 1948 e Egito. Também, esta influência da Antiguidade Romana Tardia tem sido retransmitida através das igrejas ortodoxas, representadas principalmente pela Rússia e as naçãos ao redor dela.

Quando observamos a situação política e militar do mundo, podemos dizer que os dois imperialismos da cristandade são as potências ocidentais dos Estados Unidos da América e dos seus aliados e a potência oriental, da Rússia e seus aliados. De fato, representam a principal força espiritual em todo o mundo como influência da Antiguidade Tardia Romana. Então entendemos que quando Jesus Cristo descreveu profeticamente o mundo como se fosse "Cristão", de fato, descrevia o resultado deste imperialismo “cristão” mundial, o “joio no mundo semeado pelo diabo”. Se entender (e aceitar) esse importante entendimento bíblico, também, vai entender outro ponto bíblico muito importante.

Em Mateus 7:21-23 e 25: 31, 41-46, Jesus Cristo anunciou profeticamente (indiretamente) a presença do Imperialismo “cristãos” até o fim, porque quando Jesus Cristo, na ilustração profético, fala para as "cabras" o “joio”, entendemos que, no contexto, que eles conhecem a Jesus Cristo, como também em Mateus 7:21-23. E podemos  dizer que o apóstolo Paulo deu as mesmas informações, de maneira diferente, sobre a destruição da manifestação do falso cristianismo como apostasia:

“Que ninguém os desencaminhe, de maneira alguma, porque esse dia não virá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem que viola a lei, o filho da destruição. 4 Ele é um opositor e se exalta acima de tudo que se chama deus ou que é objeto de adoração, de modo que se senta no templo de Deus, exibindo-se como um deus. 5 Vocês não se lembram de que, quando eu ainda estava com vocês, costumava lhes dizer essas coisas? 6 E agora vocês sabem o que está agindo como restrição, de modo que ele será revelado no tempo devido. 7 É verdade que o mistério dessa violação da lei já está em ação, mas apenas até que aquele que agora mesmo age como restrição esteja fora do caminho. 8 Então, realmente, será revelado aquele que viola a lei, a quem o Senhor Jesus eliminará com o espírito da sua boca e reduzirá a nada pela manifestação da sua presença” (2 Tessalonicenses 2:3-8).

Na primeira parte desta declaração bíblica do Apóstolo Paulo, sob inspiração, escreveu que a "apostasia" e " filho da destruição", os falsos cristãos, os líderes desta "apostasia", serão "revelados" por meio da potência ocidental e oriental das nações "Cristãos" (sob influência da Antiguidade Tardia Romana). E a informação muito importante dada pelo apóstolo Paulo, sob inspiração: "Então, realmente, será revelado aquele que viola a lei, a quem o Senhor Jesus eliminará com o espírito da sua boca e reduzirá a nada pela manifestação da sua presença"...

As nações imperialistas “cristãs” serão diretamente destruídas por Jesus Cristo,pelo "espírito da sua boca", na grande tribulação, após a completa destruição de Babilônia a grande e após do julgamento do 10 de Tishri (Apocalipse 14:18-20; 19:11-21).

CARTA PARA AS CINCO VIRGENS DISCRETAS

OS DOIS REIS

MENU PRINCIPAL